8 sugestões para escrever resenhas melhores

Produzir uma resenha é uma forma de absorver melhor o conteúdo lido na obra, espalhar ideias e, até mesmo, uma forma de se promover como referência naquele assunto. Costumo escrever resenhas das maiorias das obras que leio, com muitas delas estando disponíveis neste site, inclusive.

Para lhe auxiliar a produzir boas resenhas, aqui estão oito sugestões.

É importante ter em mente que para escrever uma boa resenha de livro, há pontos importantes a se ter atenção antes da leitura, durante e após. 

ANTES DA LEITURA

1. Pesquise o histórico do autor

Verifique quem é o autor: pesquise sobre seu track record e o histórico profissional, principais realizações e outras obras. Isso lhe ajudará a ter perspectivas sobre o que esperar da leitura. Além disso, é válido que conste em sua resenha uma breve descrição deste.

2. Pesquise o contexto histórico de quando a obra foi lançada

O contexto em que a obra foi produzida pode indicar algumas motivações e influências daquilo que foi produzido.

Um exemplo está na obra O Caminho da Servidão, de Friedrich Hayek: o tom do livro é pessimista em demasia, muito provavelmente por ter sido escrito durante a Segunda Guerra Mundial e em um período de ascensão de estados mais intervencionistas na economia e em liberdades civis. Naturalmente, o contexto influencia a obra e pode lhe dar insights relacionados a ela.

DURANTE A LEITURA

3. Preste atenção no prefácio, apêndices e leituras complementares

São leituras que demonstram contexto histórico, opiniões e influências da obra e, em alguns casos, o modelo e forma em que ela foi criada.

Eles podem conter diversas informações sobre a pesquisa que embasou o livro e ser uma fonte rica de inclusão para a resenha. Nas edições da LVM Editora, da obra A Mentalidade Anticapitalista, de Ludwig von Mises, por exemplo, há um posfácio do economista londrino Israel Kirzner, que teve aulas com o autor da obra e produziu um paper reproduzido na edição cujas ideias vão muito além das explicações de Mises. Sempre há ideias que podem agregar no entendimento da obra.

4. Destaque trechos relevantes

Trate o livro como um instrumento de trabalho: destaque os trechos que sintetizam as principais ideias do autor e que podem servir de base para o que não pode deixar de constar em sua resenha. Um leitor de livros digitais como o Kindle pode ser muito útil para isso.

5. Sintetize as principais ideias

Mesmo que de forma breve, busque, a cada capítulo, fazer uma anotação das principais ideias e frases. Isso pode ser feito em formato de bullet points e ajudará na construção da resenha posteriormente.

Essa técnica também ajuda na memorização daquilo que foi lido.

6. Destaque os conceitos chave

Conceitos-chave estão associados ao que consta no livro que não dá para não constar na obra. Em “Princípios”, de Ray Dalio, por exemplo, conceitos como o do Superrealismo, do ego e dos pontos cegos como formas limitantes e seu conselho de “lute bem” são conceitos-chave que não podem deixar de constar em uma resenha.

De forma similar, os conceitos de Líderes 10X, criatividade empírica e marcha das 20 milhas não pode ficar de fora de uma resenha de “Vencedoras por Opção”, de Jim Collins e Morten T. Hansen.

AO LONGO DA PRODUÇÃO DA RESENHA

7. Defina a estrutura da resenha:

Não há receita de bolo, algumas estruturas podem mudar de livro a livro, mas via de regra:

a) Defina uma abordagem: analise tópicos com foco em conceitos-chave, cronologia e abordagem livre;

b) Organização: você pode definir, por exemplo, que o primeiro parágrafo será uma apresentação do autor, o segundo, da obra, abrir espaço para um ou dois parágrafos para cada capítulo ou tópico mais relevante abordado na síntese e reservar dois ou três parágrafos para fazer uma crítica com sua opinião sobre a obra.

8. Da escrita em si

Busque desenvolver a síntese criada durante a leitura (a do ponto 5). Organize-a por tópicos e depois busque concatenar as ideias. Posteriormente, revise todos os conceitos-chave a fim de verificar se estão todos citados.

Vale ressaltar que durante a elaboração crítica à obra vale destacar uma percepção geral sobre o texto, a quem se destina e para que ele serve, se há aplicação prática e ressalvas importantes.

Pode-se criar paralelos da sua vida ou de acontecimentos do debate público, utilização de metáforas, entre outras ações.

Considerações finais

Desde que criei o hábito de resenhar as obras que leio, passei a ler melhor, absorver mais o conteúdo e utilizar os aprendizados, insights e principais lições das obras em minha vida pessoal e profissional. Trata-se de uma ferramenta para aproveitar melhor o tempo lido. Mãos à obra!

Luan Sperandio

Luan Sperandio

Luan Sperandio é editor-chefe da casa de investimentos Apex Partners, além de colunista de A Gazeta. Integra diversas organizações ligadas a desenvolvimento de instituições com melhor ambiente de negócios, como o Ideias Radicais, o Instituto Mercado Popular e o Instituto Liberal. É conselheiro-executivo do Grupo Domingos Martins e do Índex Político.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn