trabalhar no setor público

8 dicas para quem quer trabalhar (e mudar) no setor público

Na adolescência, passei em um concurso público municipal e decidi iniciar a carreira tomando posse e atuando na parte administrativa. Buscava experiência, amadurecimento e autoconhecimento. Aprendi na prática, sentindo na pele e observando o que se lê na literatura econômica sobre a ineficiência do setor público ser consequência, em especial, da falta de incentivos. Afinal, quando há estímulos a comportamentos virtuosos, os indivíduos tendem a performar melhor; já quando os incentivos são ruins, eles se acomodam e tendem a produzir menos.

A minha função à época era de ser um operário na análise e liberação de alvarás de funcionamento. Isto é, não tinha influência direta na gerência ou em mudanças estruturais. Alguns avanços foram feitos à época a partir da equipe que fiz parte, inclusive com algumas premiações. Todavia, após sair do cargo de olho em outros desafios, e de haver mudança de secretariado, aquele setor voltou a ser mais ou menos o que era pouco tempo depois, regredindo na prestação de serviços aos empreendedores.

Atuar no setor público é um desafio, mas é possível promover mudanças positivas

Para protagonizar mudanças mais profundas e sustentáveis é preciso ocupar algum cargo de secretariado com o qual é possível, inclusive, influenciar discussões legislativas. Nesse sentido, o ex-secretário de Desburocratização do governo federal Paulo Uebel traz alguns ensinamentos importantes. Entre 2019 e 2020, ele foi bem-sucedido ao elaborar e conseguir a aprovação da Lei da Liberdade Econômica e outras inovações relacionadas a serviços digitais.

Aqui estão as oito importantes lições que ele compartilhou durante uma exposição ao Instituto Líderes do Amanhã e que podem ser úteis para quem deseja assumir desafios no setor público.

  1. Antes de aceitar o cargo, defina o grau de autonomia que você terá para realizar mudanças;
  2. Apenas valerá a pena seus esforços se houver autonomia total para formar a sua equipe a fim de realizar mudanças estruturais;
  3. Fuja de influências partidárias, pois isso poderá ser usado contra você por opositores, ou mesmo lhe colocar sob mira de ingerência partidária;
  4. O setor público segue uma lógica própria: pode não ser a melhor, mas as regras existentes tem motivo de ser. Antes de tudo, é preciso compreendê-las a fim de elaborar um plano estratégico para reformas;
  5. Não se faz nada sozinho: dentro do órgão público geralmente há indivíduos que atuam há muitos anos ali e que possuem background, experiência e expertise técnica que são necessárias para fazer mudanças;
  6. Tenha empatia: sem envolver quem está lá e fazer um processo de convencimento interno, nada sairá do papel;
  7. Tenha paciência e trabalhe: o setor público é diferente do privado, em que uma determinação não ocorre de imediato, sendo necessário haver o acompanhamento e monitoramento da execução para que a mudança de fato seja implementada;
  8. Defina prioridades: há muito a ser feito, mas sem escolher algumas poucas prioridades, você provavelmente se perderá na burocracia do setor e não deixará legado algum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *